9 de nov de 2013

o que estive lendo enquanto sumi - 2

De novo, resolvi fazer um resumão dos livros que eu li enquanto não publicava nada. Acho que li muitos, mas vou escolher alguns...

A Metamorfose - Franz Kafka
Acho que muitas pessoas já devem ter ouvido falar desse livro. Eu tinha muita curiosidade e quando encontrei na prateleira da biblioteca da escola, nem pensei duas vezes. O livro conta a história de Gregor Samsa, um jovem que vivia com seus pais e a irmã e, num belo dia, sem mais nem menos, acorda metamorfosiado em um inseto gigante. Então, ele vai vivendo trancado no seu quarto. Enquanto Gregor vivia metamorfosiado lá, eu de cá pensava no que Kafka queria passar com tudo isso. Pessoalmente acho que a história mostra muito da nossa própria vida: um dia a gente acorda meio diferente do que era antes e as pessoas podem não entender muito bem essa mudança de comportamento e de atitudes. No caso de Gregor, ele praticamente foi abandonado pelas pessoas a quem mais prezava - os pais e até pela irmã, que ele gostava muito -, em relação às nossas vidas, acho que pelo fato de nem sempre as mudanças serem compreendidas, algumas pessoas podem não gostar do nosso novo jeito e irem se afastando também. O final disso, cada um descobre por si, né?! Super recomendo o livro e acho legal fazer essas análises vez ou outra.


Sagarana - João Guimarães Rosa
Esse é mais um da listinha de "clássicos-literários-que-eu-tenho-que-ler-pra-escola". Confesso que não li todos os nove contos do livro, mas li três e muito bons, por sinal. Minha professora especificou o "A hora e a vez de Augusto Matraga" que conta, justamente, a história da quase morte do Matraga e a maneira como ele resolveu tocar a vida dali em diante. No fim das contas, ele acaba saindo do trilho, de novo, mas eu acho que foi por uma causa válida. Também li "Corpo fechado", uma história com uma narrativa gostosa e até engraçadinha de um moço que fez até macumba pra enfrentar o valentão da vila pela moça que ele amava. A professora também pediu pra ler "Sarapalha", a história de Primo Ribeiro e Primo Argemiro, que estavam com malária e quase morrendo, quando Argemiro confessa a Pedro que era apaixonado por sua esposa, a Luísa, que foi embora com outro moço. Os dois brigam e Argemiro é expulso da fazenda, morrendo sozinho no meio da estrada. O livro todo em si, apresenta linguagem regionalista, combinando com o espaço de cada história. Eu acho um pouco complicado de ler, mas nada muito impossível.

Ir para onde?... Não importa, para a frente é que a gente vai!

O Lobo da Estele - Hermman Hesse
Esse livro foi emprestado por um amigo meu, que assim como eu, adora O Teatro Mágico (aquela banda legal, que fala da Ana, do mar, do beijo que parece mordida, da sensação no alto da pedra e tal) e disse que o  F. Anitelli tirou desse livro o nome da banda. Pode ser um pouco de ignorância, porque minha professora disse que Hermmam Hesse é um bom escritor e ela mesma têm vários livros dele, e também porque um outro amigo disse que no curso de pós-graduação dele, o Hermman é um dos autores mais pedidos. Anyway, eu não sei dizer com clareza até hoje se gostei ou não do livro. Porque de certa forma, a história é bacana e alguns questionamentos também. Mas por outro, não sou chegada em livros que tiram várias páginas pra explicar duas linhas da história (tem explicação de suicídio, por exemplo, que demora uma vida). Pode ser, também, preguicinha da minha parte, mas... Demorei um bocado pra terminar, mas quando terminei entendi que nunca é tarde demais pra gente fazer da vida uma dança descompassada. Harry, o personagem principal, aprende a dançar, reaprende a amar e também a viver. Talvez essa seja uma das conclusões mais simples que alguém já tenha feito, mas, é isso aí. E sim, gente, se morre de amor, e também de alegria.

O peito, o corpo, é sempre uno, masas almas que nele residem não são nem duas, nem cinco, mas incontáveis; o homem é um bulbo formado por cem folhas, um tecido urdido com muitos fios. 

Mas as coisas não se passam na vida de maneira tão simples como em nosso pensamento, nem tão rude como em nosso pobre pensamento de idiotas.  

 O Lado Bom da Vida - Matthew Quick
Esse livro foi praticamente atirado por cima de mim, mas eu também sempre tive vontade de ler, então aceitei de mãos abertas! Mas não vou mentir, dizendo que achei sensacional, porque não foi bem assim. Na verdade, achei a história bonita, até legal e o final eu gostei bastante, mas.. O fato de Pat se manter totalmente obcecado na ex-esposa foi bem irritante em alguns momentos. E a história dá muitas voltas nisso e na sua recuperação. Fica um pouco chato. Maaaas,como a gente tem que tentar sempre ver o lado bom das coisas, hahaha, aprendi umas coisinhas: praticar a gentileza ao invés de ter sempre razão faz muito sentido; a psicologia de Tiffany deve funcionar, apesar de ser bem louca, hehe; e claro, a gente tem que saber deixar as pessoas irem, de verdade. Ainda bem que existem finais lindos, românticos e explicativos por si só (porque eu adoro um romance aos 45 do 2° tempo, é).

(...) foi bom de um jeito que eu não tinha planejado. Eu apenas gostava de estar perto de você, mesmo que não disséssemos nada. 

Nas Entrelinhas do Horizonte - Humberto Gessinger
Esse é meu <3
Esse livro eu ganhei de presente de aniversário e fiquei maravilhada. Pra quem não sabe, o Humberto é um dos caras da minha vida. Acho ele o máximo desde novinha, aí, ganhar um livro dele foi muito bacana mesmo!!! HG reuniu nesse livro algumas das suas muuuitas crônicas (postadas sempre que a segunda vira terça, no BloGessinger). São muito boas e fáceis de ler e entender. Ele usa muitas metáforas e é bem legal. Eu gostei muito e indico bastante, também. Até o design do livro é bacana. Fora as 245256 fotos do Humberto que tem, hehe. Serve até como um "livrinho-cheio-de-palavras-amigas-pra-gente-ler-sempre", porque o Humberto tem umas filosofias muito boas, um jeito de pensar próprio e diferente.

(*) A gente deixa de ser criança quando percebe coisas maiores e mais fortes do que nossos mimados caprichos. Por vezes, não é legal sentir a mão pesada do destino nos tirando as opções. Mas, às vezes, é legal saber que não temos controle. No amor, por exemplo.

E, eu sei que todos já devem ter lido esse, mas...


As Vantagens de ser Invisível - Stephen Chbosky
 Não podia terminar o post sem comentar desse livro, porque acho que esse livro é o livro da minha vida. Também ganhei de aniversário, logo depois que cheguei de viagem e depois de ter vivido muita coisa bacana. Conheci o Charlie e fiquei encantada com ele e com o seu jeitinho de ver as coisas e encarar a vida. Nunca fui invisível do jeito que Charlie se sentia, mas confesso que só depois de um certo tempo senti que estava presente. Porque de repente você vê que as pessoas começaram a perceber você no mundo, e isso é muito legal (e isso aconteceu um pouquinho antes de eu ler o livro). Também gosto da maneira como Charlie procurava se sentir infinito e, no fim das contas, acabou se sentindo. Talvez eu já tenha me sentido infinita algumas vezes, mas.. vai saber? Achei lindo a maneira como Charlie se preocupava com sua família e seus amigos: ele sempre pensava neles e no que eles gostavam, não fazia nada sem considerar a opinião ou o sentimento de algum deles. Isso é bem bonito e o tornou mais especial ainda. Fora o amor entre ele e Sam, que foi muito bonito mesmo. Resumidamente, esse livro é tudo na minha vida, faz tanto sentido que é até difícil de explicar. Também já vi o filme e confesso que chorei muito (a adaptação é das boas, recomendo). Charlei é encantador e sua história por meio de cartas é fascinante *-*

Não há nada como a respiração profunda depois de dar uma gargalhada. Nada no mundo se compara à barriga dolorida pelas razões certas.
- Quero ser a primeira pessoa a beijar você. Tudo bem?
- Tudo.
E ela me beijou. Foi um tipo de beijo que eu nunca poderia contar a meus amigos como foi veemente. Foi o tipo de beijo que me fez saber que eu nunca seria tão feliz em toda a minha vida.
  Termino aqui meu resumo e prometo voltar assim que der. Dessa vez não vou deixar passar tanto tempo. De verdade, hehe.

No momento, estou lendo Eragon, de Christopher Paolini, Vida passada a limpo, de Drummond e uma Antologia Poética de Vinícius de Moraes. Aliás, se ninguém nunca experimentou poesia, é hora de tentar. Eu mesma, experimentei esse mês e posso confessar: encontrei um amor na poesia.

Beijoquinhas,

Bianca Maciente Colvara (:

0 comentários:

Postar um comentário